domingo, 26 de janeiro de 2014

ROSA PASSOS - RECRIAÇÃO (vídeo e letra)


 É como da videira, a seiva brava
  o sangue das orelhas de Van Gogh
  O fruto da loucura amarga e trava
  doce, queima, é branco e sem sabor
  E nós, que somos filhos de Tupã
  América do sol, sopramos longe
  da praia das mulheres de Gauguim
  Que bebe sol de fogo como esponja
  A folha da navalha vai lá, vai
  Em busca das artérias do pescoço
  O sol dependurado, o pé que cai
  um cão é devorado pelo osso
  Mengana, Caporanga e Tahiti
  palavras dissolvidas na lembrança
  a moça diz uns versos em Tupy
  uns versos persistentes como a ãnsia
  Iquito toca um samba do João
  aos pulos, num balanço de renovo
  A isso, alguêm chamou recriação
  e salve a voz de Deus e a vez do povo
  No porto, a nave louca vai saindo
  crivada de olofótes e faróis
  Anton por um momento está sorrindo
  passando por bequadros e bemois
  o rosto da mulata está brilhando
  o sol da Amaralina faz dormir
  a voz das aguas claras está chamando
  eu quero te levar, quando partir
  o mato está crescendo no pomar
  Ciana, Mariana até amanhã
  o sangue da cultura vai brilhar
  na folha da navalha de Gauguim