quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Adoniran Barbosa e Demônios da Garoa - Praça da Sé


Praça da Sé
Praça da Sé
Hoje você é
Madame estação Sé

Quem te conheceu
A alguns anos atrás
Como eu te conheci
Não te conhece mais
Nem vai conseguir
Te reconhecer
Se hoje passa por aqui
Alguém que já faz
Algum tempo que não te vê
Pouca coisa tem que contar
Pouca coisa tem que dizer
Vai pensar que está sonhando
É natural
Nunca viu coisa igual

Da nossa Praça da Sé de outrora
Quase que não tem mais nada
Nem o relógio que marcava as horas
Pros namorados
Encontrar com as namoradas
Nem o velho bonde
Dindindindindindin
Nem o condutor
Dois pra light e um pra mim
Nem o jornaleiro
Provocando o motorneiro
Nem os engraxate
Jogando caixeta o dia inteiro
Era uma gostosura
Ver os camelô
Correr do fiscal da prefeitura

É o progresso
É o progresso
Mudou tudo
Mudou até o clima
Você está bonita por baixo
Só indolá pra ver
Mas não vá sozinho, meu senhor
Que o senhor vai se perder

Praça da Sé
Praça da Sé
Hoje você é
Madame estação Sé