domingo, 26 de junho de 2016

Fagner - Ave noturna (vídeo e letra)

Nenhuma ave noturna tão triste não pode ser
Eu sou igual ao deserto onde ninguém quer viver
Eu sou a pedra de ponta areia quente nos dedos
Eu sou chocalho de cobra incêndio no arvoredo
Eu sou vereda de espinhos seca flor no juazeiro
Fogueira do meio dia eu sou o tiro certeiro
Nenhuma ave deserta noturna não pode ser