sexta-feira, 25 de novembro de 2016

14 Bis- Tema em fá (Biografia de Vermelho)

José Geraldo de Castro Moreira, o Vermelho, nasceu em Capela Nova, Minas Gerais, em 27 de abril de 1949. Filho de Sebastião de Assis Moreira e Marina de Castro Moreira, foi seu pai, mestre da banda da cidade e comerciante, quem o introduziu na música. Com ele, Vermelho aprendeu teoria e cavaquinho – seu primeiro instrumento.
Aos 9 anos, Vermelho foi para o colégio interno de Borda do Campo, cidade próxima, onde recebeu uma primorosa educação musical dos padres alemães. O músico reconhece a influência do canto gregoriano, além da música mineira e nordestina, na sua formação.
Em 1965, Vermelho se inscreveu na Fundação de Educação Artística, onde estudou piano, harmonia e contraponto. Com os Beatles chegou a influência que faltava para a formação do músico que Vermelho se tornaria.
Em 1968, o tenente Castro Moreira, ou melhor, Vermelho – cujo cabelo cor de fogo não deixava dúvidas sobre a origem seu apelido – entra no cenário musical dos Venturini.
O futuro tecladista, arranjador e compositor do 14 BIS conheceu Flávio quando ambos serviam o exército. Os rapazes se divertiam cantando canções de Simon & Garfunkel, Beatles e também compondo para as namoradas. A primeira música que fizeram juntos se chama Eliane.
A partir das suas participações em festivais, ainda em BH, conheceram outros letristas com quem também compuseram, como Murilo Antunes e Márcio Borges. A primeira participação de Vermelho em festivais, aconteceu em 1969, no Festival Estudantil da Canção de Belo Horizonte, que abriu as portas para a convivência com aqueles jovens músicos – Beto Guedes, Lô Borges, Tavinho Moura, Toninho Horta, Túlio Mourão – que mais tarde vieram a fazer parte do Clube da Esquina.
No Festival Universitário, a música “Espaço Branco” (Flávio e Vermelho) tirou o segundo lugar, defendida pelo grupo Terço em sua primeira formação, com Sérgio Hinds, Vinícius Cantuária e Jorge Amiden. Vermelho, também, fez parte da banda baiana Bendegó, que acompanhou Caetano Veloso em turnê.
A partir de 1970, Vermelho sai rumo a Rio e a São Paulo. Participa do primeiro disco de Beto Guedes, pela EMI-Odeon, A Página do Relâmpago Elétrico e posteriormente, ao lado dos companheiros Flávio e Cláudio Venturini, Hely Rodrigues e Sergio Magrão, forma o 14 Bis, grupo onde Vermelho trabalha até hoje.