quarta-feira, 20 de setembro de 2017

A Revolta dos Dândis (Album) Engenheiros do Havaii

A Revolta dos Dândis é o segundo álbum de estúdio da banda de rock brasileira, do Rio Grande do Sul, Engenheiros do Hawaii.
Foi gravado e lançado em 1987 e marca uma mudança na sonoridade da banda, até então próxima ao ska de bandas como The Police e Paralamas do Sucesso.
O disco marcou a estreia do guitarrista Augusto Licks, enquanto Humberto Gessinger assume o baixo. Quem Tem Pressa, Não Se Interessa foi a única faixa cuja gravação não contou com a colaboração do guitarrista, já que a mesma foi composta apenas de baixo, bateria e vocal.
Seus principais sucessos foram a faixa-título (dividida em duas partes, sendo que a primeira obteve maior sucesso), Terra de Gigantes (que contou com um videoclipe), e Infinita Highway (canção cujo título deu origem ao nome da turnê que promoveu o lançamento deste disco: Infinita Tour 87/88).
Apesar de sua gravação original ser advinda deste disco, Refrão de Bolero, outra das principais canções deste álbum, só conseguiu emplacar no começo de 1991, em meio aos sucessos e à turnê de O Papa é Pop, disco de outubro do ano anterior. Embora Humberto Gessinger a tenha gravado originalmente como contrabaixista, fazendo uso de um contrabaixo Rickenbacker, Humberto começou - durante a turnê de O Papa É Pop - a tocar a mesma como pianista (através de um piano elétrico), transformando-a numa balada de piano e voz. Com isso, a canção ganha um videoclipe ao vivo, filmado durante a turnê de O Papa É Pop, cujas cenas mostram essa versão nova sendo executada à base de piano elétrico, guitarra e bateria, além de ter ganho um arranjo diferenciado.
Outras músicas que também obtiveram sucesso são Filmes de Guerra, Canções de Amor (que deu nome ao disco acústico de 1993), Além dos Outdoors (que seria regravada no referido disco acústico) e Guardas da Fronteira (com a participação do cantor gaúcho Júlio Reny).
Em 2008, A Revolta dos Dândis foi tema de um programa Discoteca MTV, que abordava os discos de maior importância para o rock nacional. Foi também incluído em uma lista da Superinteressante dos principais álbuns do rock brasileiro.

Foi nesse disco que começaram as primeiras rusgas da banda com a crítica. Os Engenheiros eram chamados de elitistas, e até fascistas. Acusações causadas pelas citações presentes nas letras de Humberto que iam de Albert Camus a Jean-Paul Sartre. Humberto e Carlos responderam as acusações:
Humberto: "Às vezes, a citação não precisa ser entendida. No mundo de hoje não tem diferença entre Albert Camus e Mike Tyson. São dois produtos de consumo. Eu saboreio Camus como saboreio Mike Tyson. A maioria do povo brasileiro entende mais de existencialismo do que de boxe. Cito Camus porque está mais próximo de mim. Acho que as pessoas entendem o que é 'dândi', pelo menos tanto quanto eu. A "obra aberta" possibilita que uma música seja entendida em todos os níveis. Os Titãs conseguem isso. Caetano, o mais genial de todos, não consegue. Talvez nem a gente consiga. A nível de "intelectuália" citar Camus é kitsch e demodé. Pra agradar a crítica eu citaria Levi Strauss na baía de Guanabara".
Carlos: "Fascista não é fazer citações pretensamente intelectuais, mas deixar de fazer por julgar que as pessoas não vão entender. Isso é intelectual e elitista"..
Faixas:
 01 - A Revolta De Dândis I - (00:00)
02 - Terra De Gigantes - (04:11)
03 - Infinita Highway - (08:03)
04 - Refrão De Bolero - (14:14)
05 - Filmes De Guerra, Canções De Amor - (18:57)
06 - A Revolta De Dândis II - (22:41)
07 - Além Dos Out-Doors - (25:56)
08 - Vozes - (29:27)
09 - Quem Tem Pressa Não Se Interessa - (33:00)
10 - Desde Aquele Dia - (35:21)
11 - Guardas Da Fronteira - (38:47)