terça-feira, 5 de setembro de 2017

Premê (BIOGRAFIA)

Premê, anteriormente conhecido como Premeditando o Breque, é um grupo musical paulistano criado em 1976, por estudantes da USP.

O grupo destacou-se desde o início tanto pelas letras irreverentes e bem-humoradas quanto pela qualidade musical, baseada em arranjos sofisticados, fundindo MPB, choro, rock e até mesmo música erudita.
Já em 1979, o samba-de-breque Brigando na Lua era premiado com o segundo lugar no 1º Festival Universitário de Música Popular Brasileira. No ano seguinte, o grupo começaria a se celebrizar em apresentações no Teatro Lira Paulistana - um reduto da música independente paulista de então -, ao lado de nomes igualmente emergentes da cena musical paulista como Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção e Grupo Rumo. Concorrendo, um grupo que tinha um jovem estudante de Engenharia Agrícola chamado Marcelo Rubens Paiva.
Em 1981, o grupo lançou seu primeiro disco "Premeditando o Breque", conseguindo notoriedade no meio universitário e intelectual. Neste período, o Premê era formado por Marcelo (Antônio Marcelo Galbetti), Claus (Claus Erik Petersen), Igor (Igor Lintz Maués), Biafra / Mário Manga (Mário Augusto Aydar) e Wandy (Wanderley Doratiotto).
E logo em seguida, em 1982, a banda chegou à etapa final do festival MPB Shell, promovido pela Rede Globo. A canção apresentada no Maracanãzinho lotado foi O Destino assim o Quis ou simplesmente "Lencinho", como ficou conhecida.
O maior sucesso do repertório, contudo, viria em 1984, no LP "Quase Lindo". Trata-se da canção São Paulo, São Paulo, uma divertida referência a New York, New York, mas adaptada à capital paulista. A canção , incluída na trilha sonora da novela Vereda Tropical, foi sucesso nas rádios, sobretudo em São Paulo, e levou o grupo a se apresentar em diversos programas de televisão.
Outra canção que ficou conhecida do grupo foi Lua de Mel em Cubatão, numa época em que Cubatão era considerada uma das mais poluídas cidades do mundo.
O grupo despertou o interesse de uma multinacional, a EMI, e a partir daí lançou, em 1985 e 1986, dois LPs produzidos por Lulu Santos.
Os discos não tiveram o mesmo sucesso dos anteriores, segundo alguns críticos, justamente pelo fato de terem na produção um carioca, a serviço de uma grande gravadora - dois fatores supostamente contraditórios com a proposta da banda.
Entre 1987 e 1991, o grupo cessou suas atividades, retomadas com o LP de 1991 "Alegria dos Homens" e, em 1996, com o CD "Premê ao Vivo", agora em nova formação, que se mantém até os dias de hoje.
Em 2000, um novo show, batizado de "Brasil 500 anos", reavivou a atenção do público pelo grupo.
Atualmente, o Premê continua na ativa, mas com shows esporádicos, quase sempre em São Paulo.

  • O Grupo faz parte do movimento Vanguarda Paulista, que com a faccao zona norte dos Pracianos, representou a resposta desses artistas ao monopólio das gravadoras sobre o lancamento de novos talentos. Abriam seus proprios selos e lancavam seus trabalhos de forma independente. Dari Luzio, Pedro Lua, Paulo Barroso, Le Dantas & Cordeiro, Carl Guerreiro, formam o Núcleo Pracianos.
  • O vocalista e violonista Wandi Doratiotto é o apresentador do programa Bem Brasil, da TV Cultura. Também atua em diversos comerciais e na peça de teatro Não mexe com quem tá quietinho
  • O vocalista da música "São Paulo, São Paulo" é o Osvaldo Luiz Fagnani — Osvaldinho para os íntimos.
  • O guitarrista e vocalista Mário Manga é pai da cantora de MPB Mariana Aydar, destaque da música paulista recente.
  • Mesmo sem lançar disco há 11 anos, o grupo mantém uma legião de fãs e influencia bandas mais novas.
  • Numa votação popular realizada em São Paulo no ano de 2003 para eleger a música-símbolo da cidade, a canção São Paulo, São Paulo ficou em 2º lugar, atrás de Trem das Onze, de Adoniran Barbosa.
  • A canção Rubens foi regravada por Cássia Eller em seu primeiro disco, em 1990.
  • A canção Carrão de Gás foi regravada pela banda Tubaína em seu CD "Polka Vergonha", de 2000.
  • Um dos maiores sucessos do Premê, a música Pinga com Limão, é na verdade uma antiga canção da dupla caipira Alvarenga e Ranchinho.
  • Após deixar o Premê, Osvaldo Luiz também foi baixista da banda Ultraje a Rigor por um curto período.