sábado, 7 de outubro de 2017

Joanna

Joanna, nome artístico de Maria de Fátima Gomes Nogueira (Rio de Janeiro, 27 de janeiro de 1957), é uma cantora, compositora e multi-instrumentista brasileira, considerada como detentora de uma das vozes mais belas do cenário musical.
Nascida e criada no bairro do Méier, subúrbio carioca, filha do violonista Joaquim, e da dona de casa Marietta, que também gostava de cantar em reuniões familiares.
Desde a infância escrevia canções e poemas.
Aos doze anos ganhou de presente um violão do pai, e foi matriculada numa escola de instrumentos musicais.
Seu irmão a incentivava a compor e cantar, e mesmo sem ser profissional, se interessava por música e a ensinou os primeiros acordes de violão.
Sua irmã preferiu seguir o caminho educacional e tornou-se professora.
Em entrevistas revela que na infância gostava de brincar na rua, jogar bola, soltar pipa e peão.
Cursando o terceiro ano de administração, resolveu deixar os estudos universitários para se dedicar somente a música.

Sua carreira teve início com a participação em festivais do interior do estado: Ela e pesquisava onde haveria concursos de música, e viajava sozinha para participar das competições musicais.
Algumas ganhou, outras perdeu, mas sempre colecionava troféus musicais.
 Atuou também como backing vocal de conjuntos de bailes e casas noturnas, estreando na noite carioca ainda sem ser famosa.

Aos 17 anos foi classificada em primeiro lugar no programa "A grande chance" (TV Tupi/RJ), interpretando a música "Última forma".
Devido ao sucesso desse programa, assinou com a gravadora RCA, (que posteriormente se transformou em BMG – atualmente Sony Music), pela qual lançaria quase todos os seus discos. Já em 1979 aos 22 anos, despontou na música popular brasileira.
Nesta época, já independente, havia saído de casa, e dividia o aluguel de um apartamento em Copacabana com dois amigos seus, também músicos e compositores.
Conta em entrevistas que, preparando uma refeição, ouviu pela primeira vez sua voz no rádio, e chorou muito de emoção.

Desde a sua estreia, Joanna optou por cantar e compor nas suas mais variadas tendências, mas seu canto romântico sempre teve destaque maior.
Seu timbre de voz suave mas potente para canções românticas sempre fizeram muito sucesso da crítica e do público, a consagrando ao longo dos anos como uma das melhores cantoras do país.

Seu primeiro LP gravado foi Nascente, que vendeu oitenta mil cópias e a ele pertence o primeiro grande êxito popular da carreira, a canção "Descaminhos" (parceria sua com Sarah Benchimol). Dentre as músicas de começo de carreira que fizeram estrondoso sucesso pelo país, temos: Cicatrizes” (Joanna/ Solange Böeke), “Seu corpo’’(Roberto e Erasmo Carlos) e "Agora" (Gonzaguinha).

Em poucos anos, Joanna consagrou-se como cantora popular romântica, já que este estilo é o mais recorrente na sua carreira. Seu nome de batismo, Maria de Fátima, não agradou o produtor musical que lhe dirigia na época.
Ela havia escolhido Fátima Nogueira ou Nina de Fátima, mas havia no mercado musical muitas cantoras com nome de "Fátima", e o mesmo ficou em dúvida entre Joana, Mariana ou Juliana, e perguntou se a artista gostava destes nomes.
A cantora gostou dos três, e após um tempo a decidir, optou por Joana, mas para diferenciar, por ser um nome comum, acrescentou mais um N, nascendo assim "Joanna".