quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Simone Bittencourt de Oliveira

Simone Bittencourt de Oliveira nasceu em Salvador BA em 25 de Dezembro de 1949.
Cresceu num ambiente musical: o pai havia sido cantor de opera e a mãe tocava piano.
Aos 16 anos mudou-se para São Paulo SP, onde estudou e começou a jogar basquete, chegando a integrar a seleção brasileira.
Em 1973, depois de ouvi-la cantar entre amigos, Moacir Machado convidou-a para um teste na Odeon.
Aprovada, assinou contrato de quatro anos e, a 20 de março de 1973, gravou seu primeiro LP, Simone, estreando no mesmo dia em um programa da TV Bandeirantes.
Em outubro do mesmo ano, a convite de Hermínio Bello de Carvalho, viajou para a Bélgica com o espetáculo Panorama brasileiro, apresentado na Feira Brazil Export, de Bruxelas, e no Olympia, de Paris.
De volta ao Brasil, foi novamente convidada para uma tourneé, agora pelo Canada e EUA.
Em 1975 gravou no Brasil seu segundo LP, Quatro paredes. Seus maiores sucessos dessa época são as gravações de De frente pro crime e Bodas de prata (ambas de João Bosco e Aldir Blanc).
 Interprete de canções românticas, firmou-se como cantora ao gravar Começar de novo.
Em 1980 incluiu em seu repertório a canção Caminhando – ou Para não dizer que não falei de flores (Geraldo Vandré), que se tornou um de seus maiores sucessos.
Foi a primeira cantora a lotar sozinha um estádio, o Maracanãzinho, em 1981, consagrando-se como grande estrela. Em 1982, com o show Canta Brasil, levou ao estádio do Morumbi, em São Paulo, 15 mil pessoas a cada noite do espetáculo.
Nesse mesmo ano, assinou contrato com a CBS, gravou nos EUA, recebendo o reconhecimento da critica especializada e, em dezembro, estreou o show Corpo e alma, no Canecão do Rio de Janeiro, com direção de Flávio Rangel, no qual interpretou sucessos como o bolero Me deixas louca (Armando Manzanero), Vida (Chico Buarque), Alma (Sueli Costa e Abel Silva), Tô que tô (Kleyton e Kledir), entre outros.
Lançou pela Polygram, em 1996, o CD Café com leite, disco inteiramente dedicado às composições de Martinho da Vila.
Em 1997 apresentou-se no Metropolitan, Rio de Janeiro, no show Brasil, dirigido por José Possi Neto, com músicas de Paulinho da Viola, Dorival Caymmi, Ari Barroso, Gonzaguinha e Cazuza, entre outros.