sexta-feira, 4 de maio de 2018

Lourenço Baeta - Cantos (vídeo e letra)

Ao teu canto cigarra
A ele se agarra, meu coração
Desesperado, cinco da manhã

Meu coração
Não tá aguentando a barra
E ao teu canto se amarra
Pra não se perder nesse vazio
Às cinco da manhã

E também canto cigarra
Com toda garra que ainda restará
Não é um canto alegre
De farra, de festa
Não é uma seresta

Parece um grito longo
E louco, igual ao teu
Minha irmã
Assim devem ser os cantos
às cinco da manhã

E também canto cigarra
Com toda garra que ainda restará
Não é um canto alegre
De farra, de festa

Não é uma seresta
Parece um grito longo
E louco, igual ao teu
Minha irmã
Assim devem ser os cantos
às cinco da manhã