domingo, 21 de abril de 2019

Lourenço Baeta - Vapor da traição (vídeo e letra)

Dos sete samurais do cais do porto
Um foi preso, outro foi morto
Ninguém sabe dos demais

Mas,o mar nunca esquece dos navios
Do desembocar dos rios
Das muambas nos corais

Faz de conta que marola não é onda
Que nem toda história é lenda
Que o que a água leva, traz

E lembra que nas docas, na agonia
A carga de todo dia
Certo dia, pesou mais

Marujos, velhos lobos navegantes
Caramujos, tripulantes da barcaça da ilusão
A lira dos braçais e a maresia
São parceiros da agonia
Irmãos gemeos da aflição

Dos bravos samurais daquele tempo
Restam gemidos no vento
E o vapor da traição

Mas, como tudo volta e se repete
Renascerão outros sete
Pra mover a embarcação

Nenhum comentário:

Postar um comentário