sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Antonio Carlos e Jocafi - Teimosa (vídeo e letra)

Paia Paia ba da pa
Paia ba da Paia, pa Paia
Paia ba da Paia, pa Paia
Nas peripécias do amor teimosa
Como eu fiz maluquices que
Os Argumentos Que Eu dei pifaram
E como Eu lancei previsões que falharam
QUANDO SE Trata de amor, teimosa.
Tem Que Saber Perdoar teimosa
Mas se Quer infernizar meu sossego
Juro POR deus Peço arrego
Juro POR deus Peço arrego
Juro POR deus Peço arrego
Juro POR deus Peço arrego

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Fabiana Cozza e Rappin Hood - Malandro (vídeo e letra)

(Fabiana Cozza) Malando
Eu ando querendo falar com você,
Você está sabendo que o Zeca morreu
Por causa de brigas que teve com a lei
Malandro
Eu sei que você nem se liga no papo
de ser capoeira, moleque, mulato
perdido no mundo e morrendo de amores
Malandro
Sou eu quem te falo em nome daquela
que na passarela é porta-estandarte
e lá na favela tem nome de flor
Malandro
Só peço o favor que tu tenhas cuidado
As coisas não andam tão bem pro seu lado
Assim você mata a Rosinha de dor.
(Rappin Hood) 5 da manhã, tudo começa, é um novo dia
Deus que ilumine a periferia
Gente saindo do trabalho, nóia indo dormir
noite e dia, contraste, se liga aí
A garotada acordando pra ir pra escola
Vai saindo pra treinar o mano que joga bola
Eu percebo que a preta velha vai fazer café
E hoje ela canta Gil "andar com fé"
E é na fé que eu vou,
É hora de levantar, mais uma jornada
Vai nego trabalhar, correr atrás do prejuizo pra
Sobreviver nessa guerra que o pobre já perdeu
Vou até a padaria, buscar pão e leite
Fico sabendo que a noite morreu um caguete
Episódio ruim, é, infelismente,
Mas quem mandou caguetar, problema dele.
Na banca de jornal vejo as novas do dia:
O dólar que subiu, o pai que matou a filha...
No boteco a conversa sobre futebol
e a eterna briga, se foi penalte ou não
Penso num número pra apostar no jogo do bicho
Quem sabe levo sorte e levanto um níquel
Fico sabendo que a polícia já tá pela área,
Coletando informações sobre a noite passada
Mas, se perguntar pra mim, digo não sei de nada
Pois, tô sossegado, sou da rapaziada
Eu nada vi, eu nada sei, eu nada falo aí.
Pra esses tipo de conversa cadeado
Malandreando, malandreado...
(Fabiana Cozza) Malando
Eu ando querendo falar com você,
Você está sabendo que o Zeca morreu
Por causa de brigas que teve com a lei
Malandro
Eu sei que você nem se liga no papo
de ser capoeira, moleque, mulato
perdido no mundo e morrendo de amores
Malandro
Sou eu quem te falo em nome daquela
que na passarela é porta-estandarte
e lá na favela tem nome de flor
Malandro
Só peço o favor que tu tenhas cuidado
As coisas não andam tão bem pro seu lado
Assim você mata a Rosinha...
(Rappin Hood) "Ouviram do Ipiranga", é o que diz a história...
Em minhas rimas, meu livro de memórias
De um lado o asflto, do outro o chão de terra, ai, ai.
Conheço os bairros, conheço a favela...
Eu tô ligado o que acontece por lá
Vacilou, já era, então...Rá-Tá-Tá.
Tô sossegado, faço Rap e fujo do perigo
A minha car é ir pra casa, o melhor abrigo
Tô sem dinheiro, mas batalho co honestidade
Educação e consciencia, minha malandragem
Pedindo a Deus pra iluminar a minha caminhada.
Orando pelas minas, pela rapaziada
Tô sossegado, fazendo um som,
Samba Rap de verdade, Rap do bom.
Malandro, Malandro, Malandro.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Oswaldo Montenegro e Zé Ramalho - Do muito e do pouco (vídeo e letra)

Se em terra de cego Quem tem hum olho E rei
Quem tem Imaginar Os Dois
Se em terra de cego Quem tem hum olho E rei
Quem tem Imaginar Os Dois

E MUITO Quadro pr'uma Parede
E Muita tinta pr'um Só pincel
E Pouca Água pra Muita sede
Muita Cabeça pr'um Só Chapéu
Muita cachaça pra Pouco leite
Muito Deleite pra Pouca dor
E MUITO feio pra Ser enfeite
Muito Defeito pra ser amor
E Muita Rede pra Pouco peixe
Muito veneno pra se matar
Muitos Pedidos pra que se Deixe
Muitos Humanos a proliferar

Se em terra de cego Quem tem hum olho E rei
Quem tem Imaginar Os Dois
Se em terra de cego Quem tem hum olho E rei
Quem tem Imaginar Os Dois

E MUITO Quadro pr'uma Parede
E Muita tinta pr'um Só pincel
E Pouca Água pra Muita sede
Muita Cabeça pr'um Só Chapéu
Muita cachaça pra Pouco leite
Muito Deleite pra Pouca dor
E MUITO feio pra Ser enfeite
Muito Defeito pra ser amor
E Muita Rede pra Pouco peixe
Muito veneno pra se matar
Muitos Pedidos pra que se Deixe
Muitos Humanos a proliferar

Se em terra de cego Quem tem hum olho E rei
Quem tem Imaginar Os Dois
Se em terra de cego Quem tem hum olho E rei
Quem tem Imaginar Os Dois

Tim Maia - Aquele abraço (vídeo e letra)

O Rio de Janeiro continua lindo
O Rio de Janeiro continua sendo
O Rio de Janeiro, fevereiro e março

Alô, alô, Realengo
Aquele abraço!
Alô torcida do Flamengo
Aquele abraço

Chacrinha continua
Balançando a pança
E buzinando a moça
E comandando a massa
E continua dando
As ordens no terreiro

Alô, alô, seu Chacrinha
Velho guerreiro
Alô, alô, Terezinha
Rio de Janeiro
Alô, alô, seu Chacrinha
Velho palhaço
Alô, alô, Terezinha
Aquele abraço!

Alô, moça da favela
Aquele abraço!
Todo mundo da Portela
Aquele abraço!
Todo mês de fevereiro
Aquele passo!
Alô Banda de Ipanema
Aquele abraço!

Meu caminho pelo mundo
Eu mesmo traço
A Bahia já me deu
Régua e compasso
Quem sabe de mim sou eu
Aquele abraço!
Pra você que me esqueceu
Aquele abraço!
Alô Rio de Janeiro
Aquele abraço!
Todo o povo brasileiro
Aquele abraço!

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Ivan Lins - Feitio de oração (vídeo e letra)

Quem acha vive se perdendo
Por isso agora eu vou me defendendo
Da dor tão cruel desta saudade
Que, por infelicidade,
Meu pobre peito invade

Batuque é um privilégio
Ninguém aprende samba no colégio
Sambar é chorar de alegria
É sorrir de nostalgia
Dentro da melodia

Por isso agora lá na Penha
Vou mandar minha morena
Pra cantar com satisfação
E com harmonia
Esta triste melodia
Que é meu samba em feito de oração

O samba na realidade não vem do morro
Nem lá da cidade
E quem suportar uma paixão
Sentirá que o samba então
Nasce do coração.

sábado, 15 de agosto de 2015

Luiz Melodia - Mistério da raça (vídeo e letra)

Vim de lá, vim da praça mistério da raça
Cachaça pra se beber ... se beber
Qualquer um, no enredo da graça
Nos somos cachaça pra se beber ... se beber

Lá do sul, eu frequento Ipanema
Sistema, cachaça pra se beber ... se beber

No sonho dos meus sonhos
Quando eu sonho o mundo está pra se acabar
No fato, no relato, quando eu faço
O mundo está pra se acabar

Mas quem não pisa na terra não sente o chão
Luz é vida, pulsação