quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Djavan - Meu bem querer (vídeo e letra)


Meu bem querer
É segredo, é sagrado
Está sacramentado
Em meu coração
Meu bem querer
Tem um quê de pecado
Acariciado
Pela emoção
Meu bem querer
Meu encanto
Estou sofrendo
Tanto, amor
E o que é o sofrer
Para mim que estou
Jurado pra morrer
De amor?

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

14 Bis- Tema em fá (Biografia de Vermelho)

José Geraldo de Castro Moreira, o Vermelho, nasceu em Capela Nova, Minas Gerais, em 27 de abril de 1949. Filho de Sebastião de Assis Moreira e Marina de Castro Moreira, foi seu pai, mestre da banda da cidade e comerciante, quem o introduziu na música. Com ele, Vermelho aprendeu teoria e cavaquinho – seu primeiro instrumento.
Aos 9 anos, Vermelho foi para o colégio interno de Borda do Campo, cidade próxima, onde recebeu uma primorosa educação musical dos padres alemães. O músico reconhece a influência do canto gregoriano, além da música mineira e nordestina, na sua formação.
Em 1965, Vermelho se inscreveu na Fundação de Educação Artística, onde estudou piano, harmonia e contraponto. Com os Beatles chegou a influência que faltava para a formação do músico que Vermelho se tornaria.
Em 1968, o tenente Castro Moreira, ou melhor, Vermelho – cujo cabelo cor de fogo não deixava dúvidas sobre a origem seu apelido – entra no cenário musical dos Venturini.
O futuro tecladista, arranjador e compositor do 14 BIS conheceu Flávio quando ambos serviam o exército. Os rapazes se divertiam cantando canções de Simon & Garfunkel, Beatles e também compondo para as namoradas. A primeira música que fizeram juntos se chama Eliane.
A partir das suas participações em festivais, ainda em BH, conheceram outros letristas com quem também compuseram, como Murilo Antunes e Márcio Borges. A primeira participação de Vermelho em festivais, aconteceu em 1969, no Festival Estudantil da Canção de Belo Horizonte, que abriu as portas para a convivência com aqueles jovens músicos – Beto Guedes, Lô Borges, Tavinho Moura, Toninho Horta, Túlio Mourão – que mais tarde vieram a fazer parte do Clube da Esquina.
No Festival Universitário, a música “Espaço Branco” (Flávio e Vermelho) tirou o segundo lugar, defendida pelo grupo Terço em sua primeira formação, com Sérgio Hinds, Vinícius Cantuária e Jorge Amiden. Vermelho, também, fez parte da banda baiana Bendegó, que acompanhou Caetano Veloso em turnê.
A partir de 1970, Vermelho sai rumo a Rio e a São Paulo. Participa do primeiro disco de Beto Guedes, pela EMI-Odeon, A Página do Relâmpago Elétrico e posteriormente, ao lado dos companheiros Flávio e Cláudio Venturini, Hely Rodrigues e Sergio Magrão, forma o 14 Bis, grupo onde Vermelho trabalha até hoje.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Taiguara - Prelúdio Nº 2 (vídeo e letra)

Você é isso,
Uma beleza imensa,
Toda recompensa de um amor sem fim.

Você é isso,
Uma nuvem calma
No céu de minh'alma,
É ternura em mim.
Você é isso,
Estrela matutina,
Luz que descortina
Um mundo encantador.
Você é isso,
Parto de ternura,
Lágrima que é pura,
Paz do meu amor.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

14 Bis - Vida nova (vídeo e letra)

Eu te vi
Quando já não havia nada, 
Eu te quis
Quando não queria mais,
A loucura das paixões,
Os carinhos sem calor,
A ilusão que oculta o véu do amor...
Deita aqui,
Os poemas sem palavras
Vão surgir.
Vida em nossos corações,
O silêncio traz canções,
Onde havia escuro há cor,
Nosso encontro tudo transformou,
Meu amor...
Nosso amor
Quer seguir
E uma estrada iluminada
Nosso amor
Um rubi
Pedra rara e preciosa
Clara luz
Do querer
Semeando
A vida nova
Que há de ser
Simplesmente o nosso amor.
(Ó lua da madrugada
Derrama seu brilho em nós.)

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Jauperi - É D'Oxum (vídeo e letra)

Nessa cidade todo mundo é d'Oxum
Homem, menino, menina, mulher
Toda gente irradia magia
Presente na água doce
Presente na água salgada
Presente na água doce
Presente na água salgada

E toda cidade brilha
Seja tenente ou filho de pescador
Ou importante desembargador
Se der presente é tudo uma coisa só
A força que mora n'água
Não faz distinção de cor
E toda cidade é d'Oxum
É d'Oxum
É d'Oxum
Eu vou navegar
Eu vou navegar nas ondas do mar
Eu vou navegar nas ondas do mar
Iá aguibá Oxum aurá olu adupé

sábado, 5 de novembro de 2016

Belchior - À palo seco (vídeo e letra)

Se você vier me perguntar por onde andei
No tempo em que você sonhava
De olhos abertos, lhe direi:
Amigo, eu me desesperava
Sei que assim falando pensas
Que esse desespero é moda em 76
Mas ando mesmo descontente
Desesperadamente eu grito em português
Mas ando mesmo descontente
Desesperadamente eu grito em português

Tenho vinte e cinco anos
De sonho e de sangue
E de América do Sul
Por força deste destino
Um tango argentino
Me vai bem melhor que um blues
Sei que assim falando pensas
Que esse desespero é moda em 76
E eu quero é que esse canto torto
Feito faca, corte a carne de vocês
E eu quero é que esse canto torto
Feito faca, corte a carne de vocês